Uma das tendências de aplicativos para os próximos anos são os chamados Progressive Web Apps (PWA).

Esse novo conceito de desenvolvimento de aplicativos tem como principal paradigma a transformação de navegadores em uma plataforma que irá comportar-se como um aplicativo. Ou seja, toda a experiência que o usuário tem ao acessar uma aplicação na tela do smartphone também é encontrada no PWA, mas nesse caso através da tela de um navegador.

O grande destaque que esse novo conceito vem ganhando é resultado da possibilidade de aplicar esse tipo de tecnologia para otimizar resultados na área de marketing digital. É possível utilizar os PWA para incorporar ações de marketing tanto de negócios que atuam virtualmente bem como compor a interface básica de um site ou blog. O objetivo final é a interação com o cliente que deve ser cada vez mais personalizada.

Uma das principais vantagens desse tipo de tecnologia é o fato de os PWA serem uma mescla entre as páginas da web regulares bem como os sites com um a aplicativo móvel. Dessa forma, a aplicação irá reunir todas as vantagens e características especiais de páginas web e aplicativos.

A interatividade dessas aplicações promete ser a principal aliada das ações e campanhas de marketing. Como o próprio nome já sugere o PWA é uma tecnologia progressiva. Isso significa que a aplicação pode começar e ser sugerida ao cliente com funcionalidades bem básicas e simplificadas. No decorrer da utilização e engajamento dos usuários novos recursos e funcionalidades serão apresentados de forma que a interação seja mantida e aquela página web passe a funcionar com características bem semelhantes a um app.

Quais as características que devem estar presentes em um PWA?

O Google, por meio da plataforma Google Developers, estabeleceu 10 critérios básicos que devem fazer parte do desenvolvimento e conceito final de uma aplicação para que ela seja considerada um PWA. Portanto, um PWA de sucesso deverá ter as seguintes características:

  • Progressividade: a aplicação deve ser capaz de interagir com qualquer usuário através de qualquer navegador ou sistema operacional.
  • Responsividade: esse é um conceito chave que está diretamente ligado ao formato de exibição do aplicativo em diferentes telas e aparelhos. Portanto, é necessário que o layout seja agradável e a experiência do usuário seja a mesma na tela de um computador, tablet, smartphone ou qualquer outro dispositivo.
  • Funcionalidades mesmo off-line: manter recursos e funcionalidades ainda que o usuário esteja off-line também é essencial para o PWA.
  • Semelhanças com aplicativos mobile: layout, ferramentas e navegação precisam ser semelhantes aos de aplicativos.
  • Atualizações: um PWA deve estar em constante atualização para ser capaz de manter o engajamento dos usuários. Ao mesmo tempo em que devem ser continuas essas atualização também precisam ser discretas, as mudanças não podem ser radicais e devem acompanhar o processo de engajamento.
  • Segurança: esse é um tema importante para qualquer aplicação. Com isso, um PWA deverá ser oferecido via HTTPS o que evita invasões e adulteração durante o processo de troca de dados entre servidores.
  • Fácil de encontrar: ele deverá ser encontrado como se fosse um aplicativo nativo através dos mecanismos de busca convencionais como é o caso da tela inicial de um smartphone, por exemplo.
  • Engajamento: esse é um ponto muito importante e deve ser uma característica marcante do PWA. Com isso, engajamento e reengajamento devem ser tarefas simples para os usuários.
  • Instalação: a partir de um determinado nível de engajamento deverá ser apresentado ao usuário à possibilidade de instalar o PWA. No entanto, isso não irá acontecer por meio de uma loja de aplicativo assim como os nativos.
  • Linkável: instalação complexa não deve fazer parte desse tipo de aplicação. Além disso, eles devem ser fáceis de serem compartilhados por meio de URL assim como as páginas web.

Aumentando as conversões com o PWA

A conversão é um conceito fundamental no marketing digital. Trata-se de uma ação que o usuário realiza, seja por meio de um site ou uma campanha. Essa ação pode ser medida pela empresa e alguns dos exemplos são cliques em botões, preenchimento de formulário e interação com bots. Dessa forma, a cada interação o usuário fornece uma nova permissão até que ele chegue ao objetivo final da página ou site. O objetivo final varia de acordo com os interesses da empresa, seja a venda de um produto ou serviço ou divulgação de um anúncio.

Uma das grandes dificuldades de ações e campanhas de marketing é justamente convencer o usuário a baixar um aplicativo para continuar o engajamento. Com o PWA essa necessidade é eliminada, pois o engajamento e a interação já pode começar na própria página do site da empresa. Ou seja, a conversão será facilitada e o cliente vai ganhando confiança até que ele mesmo decide fazer o download da aplicação.

Em resumo, ao invés de concentrar os esforços para fazer com que o usuário baixe um aplicativo para só depois resolver o problema dele o PWA faz justamente o contrário, pois primeiro resolve a necessidade do usuário e depois do engajamento ele poderá ter a aplicação na sua tela inicial se assim desejar.

Portanto, fica claro que uma das principais aplicações dos PWA será para os interessados em serviços de marketing. Essa poderosa ferramenta poderá facilitar campanhas e ações focando naquilo que é mais importante: o engajamento do público alvo. E o PWA faz de forma muito inteligente, pois ao invés de impor uma ação ao usuário a aplicação confia nele através da disponibilização de uma jornada que será cumprida e, posteriormente, o PWA estará na tela inicial do dispositivo uma vez que provou o seu valor.

O resultado final são ações de marketing digital bem mais elaboradas e mais fáceis de serem analisadas. Medir os resultados alcançados e o impacto para com os clientes e usuários em geral será uma tarefa mais simples com o PWA.

Escreva sua revisão

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

CARRINHO

X